Considerações sobre cargas de vento adequadas ao contexto brasileiro no ensaio de estanqueidade à água de esquadrias

Thiago Barreiros, Maria Akutsu

Resumo

Este artigo apresenta sugestões para discussão visando mudança no método de ensaio e nos critérios de avaliação e classificação das esquadrias de fachadas, portas e janelas no Brasil, com relação ao requisito de estanqueidade à água, da norma NBR 10821 (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS 2017a), adequando-a às reais solicitações de uso, considerando como referências as normas NBR 15575 (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2013a), NBR 6123 (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 1988) e UNI EN 12208 (EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION, 2001). Dessa forma, são indicados valores de pressões de ensaio em média 60 Pa superiores às prescritas na norma NBR 10821 (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2017a), porém com maior detalhamento, considerando principalmente a região onde se insere a edificação, a vida útil de projeto (VUP) e a altura de utilização do produto. Da mesma forma, são apresentados valores de pressão de ensaio que ultrapassam
em mais de duas vezes o valor apresentado na norma atual e outros que ficam abaixo. Propõe-se também mudança no critério de avaliação do produto e de classificação de desempenho em “Mínimo”, “Intermediário” e “Superior”, correlacionando-a a VUP
do produto. Isso pode contribuir para uma identificação mais clara entre os diversos produtos com desempenhos diferentes que são oferecidos no mercado, pois pelo critério da norma vigente, o resultado de ensaio de uma esquadria de boa qualidade é igual ao de uma esquadria de excelente qualidade, colocando um teto de desempenho que não estimula a realização de produtos melhores e diferenciados.

Texto completo:

PDF

Número de visualizações: 37

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6123: Forças devidas ao vento em edificações. Rio de Janeiro, 1988. 80 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10821: Esquadrias para edificações - Parte 2: Esquadrias externas – Requisitos e classificação. Rio de Janeiro: ABNT, 2017a. 27 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10821: Esquadrias para edificações - Parte 3: Esquadrias externas – Requisitos e classificação. Rio de Janeiro: ABNT, 2017b. 27 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575: Edificações habitacionais - Desempenho, Parte 1: Requisitos gerais. Rio de Janeiro: ABNT, 2013a. 71 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575: Edificações habitacionais - Desempenho, Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas. Rio de Janeiro: ABNT, 2013b. 63 p.

EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. UNI EN 1027: Windows and doors – Watertightness: Test method. Milano: ECS, 2001. 14 p.

EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. UNI EN 12208: Windows and doors – Watertightness: Classification. Milano: ECS, 2000. 10 p.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.