Esfera microclimática: ventilação, conforto e moradia

Jordana Letícia Löw, Gilder Nader

Resumo

Favelas possuem crescimento e organização particulares, acarretando, tipicamente, em condições desfavoráveis ao conforto ambiental. Para que o espaço urbano funcione de modo a proporcionar qualidade de vida às pessoas, existem vários aspectos aconsiderar no seu planejamento, como o conforto ambiental, a garantia da mobilidade e da existência de espaços públicos, bem como um planejamento sobre ocupação arbórea. Dessa forma, neste trabalho foi analisado a melhora na condição microclimática da favela de Vila Prudente, a mais antiga de São Paulo – SP, Brasil, caso tivessem sido utilizados conceitos de planejamento urbano. Os estudos foram realizados por meio de simulação computacional tridimensional, utilizando o software ENVI-met 3.1, considerando o desempenho térmico e de ventilação, do local, segundo a disposição das moradias e áreas externas na configuração atual e também foi formulada uma proposta urbanística com blocos de edifícios numa configuração em que foram consideradas a direção preferencial dos ventos, a influência de áreas de circulação, o acréscimo de áreas arborizadas e a densidade demográfica. No modelo planejado, obteve-se uma melhora nas condições microclimáticas, com aumento da velocidade do vento, diminuição em até 1ºC na temperatura do solo entre as edificações e redução das ilhas de calor.

Texto completo:

PDF

Número de visualizações: 67

Referências

ALMEIDA JÚNIOR, N. L. Estudo de clima urbano: uma proposta metodológica. 2005. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, 2005.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMA TÉCNICAS. NBR 15220-3: Desempenho térmico de edificações Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de interesse social. Rio de janeiro: ABNT, 2005.

BONDUKI, N. Os pioneiros da habitação social – v. 1: cem anos de construção de política pública no Brasil. São Paulo: Unesp / Sesc, 2014. 387 p.

CASTELO BRANCO, L. M. B., Microclimas urbanos no Plano Piloto de Brasília: o caso da superquadra 108 sul. 2009. 139 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. Caracterização das Estações da Rede Automática de Monitoramento da Qualidade do Ar na RMSP: Estação Congonhas. São Paulo: Cetesb, 2004. Disponível em: . Acesso em: 07 abr. 2017.

FROTA, A. B.; SCHIFFER, S. R. Manual do conforto térmico. 8. ed. São Paulo: Editora Nobel, 2003.

GASPARINI JÚNIOR, R. A. Qualidade dos espaços públicos viários: ergonomia em escala urbana. 2006. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Bauru, 2006.

INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA. Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (°C) - São Paulo (Mirante de Santana). Banco de Dados Meteorológicos para Ensino e Pesquisa. Brasília: INMET, 20 Jul. 2017.

MARQUES E.; TORRES, H. G.; SARAIVA, C. Favelas no Município de São Paulo: Estimativas de População para os Anos de 1991, 1996 e 2000. Revista Brasileira de Estudos e Regionais, v. 5, n. 1., p. 15-30, maio 2003.

NAKATA, C. M.; SOUZA, L. C. L.; FARIA, J. R. G. Simulação do conforto térmico do pedestre no ambiente urbano. Ação Ergonômica – Revista da Associação Brasileira de Ergonomia, v. 5, n. 2, p. 1-9, 2010.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.