Microscopia óptica de cálculos urinários: estudo de caso

Eduardo Brandau Quitete, Natasha da Silveira Pinto, Priscila Rodrigues Melo Leal, Jilson Cardoso, Fabiano Ferreira Chotoli

Resumo

Cálculo urinário, comumente chamado de “pedra de rim”, é uma pequena massa sólida formada por cristais micrométricos a milimétricos. O objetivo deste trabalho foi aplicar o método de microscopia ótica de luz transmitida polarizada, com o intuito de descrever e analisar fragmentos de cálculo urinário, comparando os resultados com o método de difratometria de raios X. Ambas análises identificaram predomínio de whewellita associada à presença de quantidade relevante de uricita. A descrição textural apresentada pela microscopia ótica indicou a ocorrência de três eventos de cristalização e possibilitou a correlação com as possíveis causas da formação de cálculo, permitindo ao urologista e nutricionista reverem a dieta do paciente, a fim de evitar a recorrência de cálculo. Conclui-se, então, que a microscopia óptica é uma importante ferramenta na caracterização mineralógica e textural de cálculos urinários, podendo auxiliar no diagnóstico e profilaxia de recorrências.

Texto completo:

PDF

Número de visualizações: 302

Referências

ABBOUD, Iyad. Mineralogy and chemistry of urinary stones: Patients from North Jordan. Environmental geochemistry and health, v. 30, p. 445-63, 2008. Disponível em: Acesso em 28 nov. 2019

ALELIGN, Tilahun; PETROS, Beyene. Kidney stone disease: an update on current concepts. Advances in urology, v. 2018, 2018. Disponível em: < https://doi.org/10.1155/2018/3068365> Acesso em 8 nov. 2019

DAL MORO, F.; MANCINI, M., TAVOLINI, I. M., DE MARCO, V., BASSI, P. Cellular and molecular gateways to urolithiasis: a new insight. Urologia internationalis, v. 74, n. 3, p. 193-197, 2005. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/7924649> Acesso em 8 nov. 2019

GATTI, M. F. Z., FERRAZ, M. B., LEÃO, E. R., BUSSOTTI, E. A., CALIMAN, R. A. M. Custos hospitalares do diagnóstico e tratamento da cólica renal em um serviço de emergência privado brasileiro. Revista Dor, 2013. Disponível em: Acesso em 8 nov. 2019

MENDES, Jorge Miguel Bastos. Profilaxia da litíase renal. 2014. Dissertação de Mestrado. Disponível em: Acesso em 8 nov. 2019.

NGO, Tin C.; ASSIMOS, Dean G. Uric acid nephrolithiasis: recent progress and future directions. Reviews in urology, v. 9, n. 1, p. 17, 2007. Disponível em: Acesso em 8 nov. 2019

TRÖGER, W.E. Optical determination of rock forming minerals: part I determinative tables. Stuttgart: E. Schweizerbartshe Verlagsbuchhandlung; 1979.188p.

TÜRK, C.; NEISIUS, A.; PETRIK, A.; SEITZ, C.; SKOLARIKOS, A.; THOMAS, K. EAU Guidelines on Urolithiasis. EAU Guidelines Office; 2018. 88p. Disponível em: Acesso em 8 nov. 2019

Apontamentos

  • Não há apontamentos.